Páginas

terça-feira, 18 de março de 2014

MIL POEMAS PARA GONÇALVES DIAS


Em  agosto de 2013, na Universidade Federal do Maranhão, foi lançada a antologia MIL POEMAS PARA GONÇALVES DIAS, por ocasião do seu aniversário de 190 anos. Tive a honra de participar. Nela repousa um filho meu: “Gonçalves em Dias de Paz”. O evento, que contou com extensa programação abrangendo as cidades de São Luís – capital do Maranhão; Caxias (onde o poeta nasceu em 10/08/1823, no sítio Boa Vista, nas terras de Jatobá, a 14 léguas da Vila de Caxias); e Guimarães (onde veio a falecer no naufrágio do navio Ville de Boulogne, em 03/11/1864, próximo à região do Baixo de Atins, na Baía de Cumã), lançou 2  publicações, uma em versos e outra em prosa.A abertura oficial teve programação extensa, com apresentações artísticas de bandas e corais, recitais, debates, premiação do concurso do selo comemorativo ao evento, reunião de presidentes da Sociedade de Cultura Latina no Brasil, criação da Academia de Letras de São Luis e ainda a criação da Academia de Letras de Guimarães e do Instituto Histórico e Geográfico de Guimarães. A antologia tão bem produzida pela UFMA, reúne poemas de escritores nacionais e internacionais, e este meu, Poeminha (pág. 100), publicado aqui: http://issuu.com/leovaz/docs/mil_poemas1a_-_parte_1

* (As informações sobre o lançamento  foram  extraídas do blog http://karlinebatista.wordpress.com/ da amiga Karline Batista, também publicada na antologia)

 

Gonçalves em Dias de Paz

Por Eliane Silvestre

 

Os sabiás daqui continuam a cantar,

Há mais de cem anos

Sem Dias para apreciar.

 

As palmeiras, com mãos espalmadas,

São oração e poesia entrelaçadas.

A Deus, por Gonçalves, pedem

Que haja poemas seus, nas nuvens que seguem.

Sua poesia nunca foi exilada,

Desde sua morte, circula alardeada.

 

“- Poeta, pode seguir em paz

Que sua poesia não jaz!

Jamais! Jamais!”

Um comentário: